Notícias

PROJETO ENTRELAÇA REALIZA ARTICULAÇÕES EM VIAMÃO

O projeto é uma iniciativa da Rede de Solidariedade do Brasil Marista

Qualificar a educação pública e fortalecer o sistema de garantia de direitos de crianças, adolescentes e jovens. Estes são os objetivos do Projeto Entrelaça: laços para proteger, educar e transformar. A iniciativa da Rede de Solidariedade do Brasil Marista, atuará no atendimento ao público infantojuvenil, em situação de vulnerabilidade e exclusão social, a partir da educação pública de qualidade e da promoção de seu protagonismo.

Para que os objetivos sejam alcançados, foi constituído grupo de trabalho, para realizar um diagnóstico da educação pública, em três municípios brasileiros, nos quais os maristas possuem escolas: Teresina (PI), Paiçandu (PA) e Viamão (RS).

A partir das escutas realizadas e com o diagnóstico traçado, o projeto pretende consolidar instrumentos participativos, de articulação de atores afins e instâncias colegiadas do poder público e desenvolver ações para a promoção da autonomia e empoderamento fundamentados no Pacto Educativo Global na Economia de Francisco e nas orientações do Instituto Marista.

Para Paulo Quermes, coordenador da área de Missão e Gestão da União Marista do Brasil (Umbrasil), o projeto revela uma opção institucional que está na origem da Congregação Marista: “o Instituto Marista nasce com o propósito de ser um grande projeto de solidariedade, trabalhando com a educação de crianças pobres no interior da França. Para nós será um processo de construção de parcerias e de expertise não apenas nos municípios pilotos, mas oxalá de muitos outros em que nós, Maristas, estamos presentes e desenvolvemos projetos educativos e de solidariedade. Nossa intenção é colocar as iniciativas à disposição da sociedade brasileira", explica.

Articulações no município de Viamão
Nesta semana de 2 a 6 de agosto, uma equipe multidisciplinar está realizando escutas no município de Viamão, a fim de levantar dados sobre as necessidades locais. Na agenda, reuniões com diversos interlocutores, como órgãos públicos, gestores públicos, professores, estudantes, lideranças comunitárias, associações e possíveis parceiros.

Nesse sentido, Luciana Buksztejn Gomes, assessora de Representação Institucional da Rede Marista, enfatiza a importância dos diálogos e das escutas realizadas nesta fase de diagnóstico. “Para que, futuramente, possam ser realizados projetos adaptados às necessidades locais, é preciso conhecer a realidade. Como a maior parte dos dados de diagnóstico são realizados por pesquisa online, torna-se fundamental uma visita e um contato inicial com a comunidade para que a equipe possa identificar melhor as necessidades da localidade e as possibilidades reais de ação", destaca Luciana.

A coordenadora das atividades do Projeto na Rede Marista, Simone Weissheimer, relata que participar e atuar no Projeto Entrelaça é falar de entusiasmo: “neste coletivo pulsam também sentimentos de esperanças que se renovam, de afetos que nos fortalecem, e de inquietudes diante dos enfrentamentos e dos desafios. É se entrelaçar na possibilidade de transmutar e de compartir diferentes experiências", avalia.

Do ponto de vista das articulações que o Projeto Entrelaça irá proporcionar no campo das relações institucionais e governamentais, a assessora de Representação Institucional da Umbrasil, Francine Junqueira, enfatiza que: “atuar nas conexões oportunizadas pelo Entrelaça acentua a nossa convicção no diálogo e na escuta. Acreditamos que defender a educação para todas as crianças, adolescentes e jovens seja uma tarefa de todos nós, em conjunto, em união".

Acesse o site do Projeto Entrelaça e saiba mais detalhes sobre essa inciativa.